31, mar, 2016

Zika e Microcefalia são destaque em evento no Teatro Facisa

1-13Por Fernanda Moura

Aconteceu na noite desta quarta-feira, 30, no Teatro Facisa,  a abertura do evento “O amor nos tempos do Zika”, que reuniu alguns dos principais nomes das pesquisas sobre a relação entre o vírus Zika e a microcefalia. O encontro marca ainda a parceria entre a Facisa/FCM e o Instituto Paraibano de Pesquisa Professor Joaquim Amorim Neto (IPESQ), além de celebrar os sete anos do instituto.

A solenidade foi marcada pela homenagem ao IPESQ e a seu patrono falecido, professor Joaquim Amorim Neto, na ocasião representado pela viúva, a historiadora Léa Amorim. Ainda fizeram parte da mesa solene o prefeito Romero Rodrigues, o vice-diretor da FCM, Diego Gadelha, o gerente de Atenção à Saúde Miguel Dantas, representando a secretária de Saúde Luzia Pinto, a médica e pesquisadora Adriana Melo, presidente do instituto, a promotora de Saúde do município Adriana Amorim, a coordenadora de Saúde Neonatal do Isea, Denise Amorim, o presidente da unidade hospitalar e coordenador do curso de Medicina da FCM, professor Antônio Henriques e a médica Helenita Afonso Vigolvino, homenageada da noite. Após as palestras, houve apresentação musical, com o cantor Alexandre Tan e o pianista Adriano Moreno.

3A pesquisadora Adriana Melo, presidente do IPESQ e responsável pela descoberta da relação entre a microcefalia e o Zika, anunciou que nos próximos dias publicará um artigo com novidades sobre as pesquisas em torno do vírus e a doença, que tem afetado milhares de gestantes em todo país. “Esta união entre o IPESQ e a Facisa/FCM é muito valiosa, sobretudo porque coloca as pesquisas diretamente em contato com os estudantes e com isso ganha toda a sociedade. Não podemos precisar o dia, mas em breve um artigo será publicado com as novidades sobre esta pesquisa tão importante”, reforçou.

Já o vice-diretor da FCM, Diego Gadelha, falou sobre os avanços no campo da genética e da oftalmologia. “Estamos realizando alguns trabalhos na área de genética médica para entender porque o vírus se fortalece na nossa região e em breve deveremos ter resultados contundentes. Também já detectamos em nossos estudos que crianças que nasceram com microcefalia em decorrência do Zika, apresentaram alterações visuais significativas”, revelou.

2Para a médica Melânia Amorim, que ministrou a palestra que dá nome ao evento, é preciso olhar com a atenção para as mulheres vítimas de Zika durante a gestação, principalmente porque estas são em sua maioria, de baixa renda. “Por isso é tão importante a rede de atenção que estamos formando em Campina Grande, com o apoio da Prefeitura e das instituições parcerias, a saber o IPESQ e a Facisa/FCM”, comentou.

O prefeito Romero Rodrigues destacou a parceria com a Facisa/FCM e reforçou a importância do atendimento às mulheres que tiveram o diagnóstico de microcefalia confirmado para seus bebês. “Todas as pesquisas têm sido fundamentais, mas, tão importante quanto, é o atendimento às gestantes e às crianças e nós estamos fazendo isso através do Núcleo de Atendimento do Hospital Pedro I, em parceria com a Facisa/FCM, e que tem feito a diferença na vida destas mulheres e de seus filhos”, falou.

4O evento segue nesta quinta-feira, 31, com palestras e workshops com importantes nomes da saúde, como o professor Amílcar Tanuri, um dos principais virologistas envolvidos com a pesquisa sobre Zika e Microcefalia.

Programação de encerramento:

8h – Zika: O vírus, suas características e seus efeitos no organismo com Prof. Dr. Amilcar Tanuri (RJ)

8h30 – Zika: retrato de uma epidemia no Brasil com Prof. Dr. Carlos Brito (PE)

9h – Complicações neurológicas da infecção por Zika: encefalomielite e síndrome de Guillain-barré com Prof. Dr. Renato Santana (RJ)

4 (1)9h30 – Enfrentamento da epidemia de Zika vírus e suas implicações na saúde maternoinfantil: abordagem transdisciplinar com Profa. Dra. Melania Amorim (PB)

9h40 – Experiência de Campina Grande com Profa. Dra. Adriana Melo (PB)

10h – Experiência de Pernambuco com Profa. Dra. Luiza Menezes (PB)

10h20 – Experiência de Goiás com Prof. Maurício Viggiano (GO)

10h40 – Acompanhamento de crianças com microcefalia e outras complicações neurológicas com Profa. Alba Gean Medeiros Batista (BA)

11h – Acolhendo gestantes, enfrentando o luto e a dor em escala epidêmica – Prof. Alexandre Coimbra Amaral (BA)

11h20 – Ação social e ativismo: o que podemos fazer para apoiar as mulheres vítimas da epidemia? Com Profa. Martha Ysis – advogada e representante do Coletivo Feminista Bruta Flor, representante da Comissão de Diversidade Sexual e Gênero da OAB-PB

11h40 – Discussão

12h – Almoço

14h – Workshop: Comunicação de más notícias, como lidar com o luto e a dor com

Prof. Alexandre Coimbra Amaral

16h – Intervalo

16h15 – Grupo terapêutico de profissionais de saúde envolvidos no cuidado a gestantes com bebês acometidos pela Zika com Prof. Alexandre Coimbra Amaral

18h – Solenidade de encerramento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *