30, abr, 2016

Teatro Facisa vive noite de encantamento durante final do Dom Dança

User comments

Por Fernanda Moura

O Teatro Facisa recebeu na noite desta sexta-feira, 29, a grande final da terceira temporada do programa Dom Dança, produzido e transmitido ao vivo pela TV Itararé. Não por acaso, o encerramento aconteceu na data em que se comemora o Dia Mundial da Dança.

Como nas edições anteriores, a disputa atraiu grande público para o Teatro Facisa. Amigos, familiares e fãs da dança vieram prestigiar grandes espetáculos marcados pela expressividade cênica e perfeição plástica dos movimentos. Diversos ritmos foram apresentados com emoção e apuro técnico pelos bailarinos, do balé clássico, às danças de salão e ao break  e ao pop contemporâneo.

User comments

Dos 23 candidatos que disputaram a etapa semifinal no último dia 15, nas categorias Duos, Grupos e Solos, apenas 14 se classificaram para a final. Os jurados Erik Breno (dançarino), Erasmo Rafael (produtor cultural, diretor do Teatro Municipal Severino Cabral e coordenador da Vila do Artesão) e as juradas Giseli Sampaio (professora de Comunicação, ativista cultural e dançarina), Myrna Maracajá (bailarina clássica e contemporânea, além de coreógrafa) e Roberta Soares (especialista em dança do ventre), enfrentaram um grande desafio para escolher os melhores entre os já consagrados na semifinal.

Houve ainda uma bela homenagem à bailarina cearense, coreógrafa e professora de balé clássico, que dedicou sua vida às artes na Paraíba, Cláudia Saboya, pela sua contribuição ao desenvolvimento da dança no estado. Ela recebeu flores das mãos de uma de suas ex-alunas e assistiu ao vídeo gravado com profissionais da dança que tiveram suas carreiras influenciadas por ela de alguma forma. Vários convidados também prestigiaram o público com apresentações especiais, como a escola de dança Passo a Passo.

User comments

A competição foi acirrada do início ao fim e os dançarinos mostraram que se prepararam de forma especial para a finalíssima. A iluminação foi um show à parte em cada apresentação, pontuada pelos comentários críticos de cada jurado.

O melhor bailarino foi Elisson Custódio. Ele receberá várias bolsas de estudo, participará como convidado do Festival de Inverno de Campina Grande (FICG), do especial da TV Itararé com os primeiros colocados, e do “Festival Santa Maria Endança”, na cidade de Santa Maria, Rio Grande do Sul. Bruna Talita foi eleita a melhor bailarina e também receberá bolsas de estudo e o convite para participar no FICG e do especial da Itararé.

Já a melhor dupla foi a “Spark & Smoke”, formada pelos bailarinos Jéferson Araújo e Andrezinho Silva. “O programa Dom é uma grande oportunidade para nós bailarinos, independentemente da vitória, abre grandes oportunidades, é uma excelente vitrine”, disse Jéferson, emocionado. Além das bolsas, também participarão do FICG e do especial da Itararé.

7O melhor grupo por sua vez foi o Tap Campina, que arrancou aplausos entusiasmados do público com a apresentação de seu estilo pop contemporâneo. Eles participarão do FICG e do especial da Itararé. A melhor coreografia foi a do bailarino Nisso Flex e ele também ganhará bolsas de estudo e a participação como convidado no Festival e no especial da TV. Os escolhidos pelo voto popular também foram os integrantes do grupo Tap Campina.

Vitrine de talentos

Para o diretor do programa, Saulo Queiroz, a atração está se consolidando como um espaço para revelar talentos, e quanto à avaliação sobre o espetáculo, teceu inúmeros elogios, sobretudo pela qualidade e pelo show protagonizado pelos bailarinos. “”A avaliação que eu faço é muito positiva. Ficou muito claro que as pessoas estão se agregando mais em torno do programa, o que é uma proposta da TV Itararé, que seus programas gerem identificação por parte da população. É um programa de talentos em que se vê talentos daqui, pessoas que se conhecem, as pessoas começam a perceber que podem ter seus dons reconhecidos num programa de talentos regional e isso é muito bacana”, reforçou.

A idealizadora do FICG, Eneida Agra Maracajá, também comentou a importância do Dom para a classe artística paraibana. “Gostaria de parabenizar esta produção impecável, que incentiva e revela grandes talentos, a partir do momento que valoriza a dança como ela deve ser valorizada”, disse.

O músico Alexandre Tan também reverenciou o programa. “A alma fala através do corpo e é na dança que isto é expressado da melhor forma. O Dom é uma porta de entrada para tantos talentos de nossa região, seja com o Dom Música, seja com o Dom Dança. Cada apresentação é um deslumbre”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *