22, nov, 2017

Pesquisador afirma que crise ambiental do planeta é filha da crise ética

O animal que ocupa o topo da cadeia evolutiva é o mesmo que tem tido a capacidade de destruir seu próprio lar.  O homem indiscutivelmente tem sido o principal agente causador do desequilíbrio ambiental, exatamente porque tem se deixado seduzir pelo deslumbramento com o mundo material e sua lógica de consumo exagerado, pautada pela incapacidade de diferenciação entre o que pertence ao universo do supérfluo e do necessário.

Essa discussão foi conduzida pelo jornalista, pesquisador e escritor André Trigueiro, que esteve em Campina Grande no último final de semana, ocasião em que realizou o seminário de lançamento do MIEP 2018 (Movimento de Integração do Espírita Paraibano), cujo tema é Terra, Planeta Amor. O evento que aconteceu no Teatro Facisa, reuniu cerca de 500 pessoas.

André conduziu o seminário de forma a provocar uma reflexão sobre o fenômeno antropoceno, o qual define a influencia humana na terra para modelar a paisagem global. O expositor alertou sobre os malefícios do consumismo e a conseqüente aceleração da depreciação do planeta, chegando a afirmar que não suportaríamos a pressão de passar por uma CPI do consumo consciente. “Ser sustentável é respeitar a capacidade do ambiente e nós não temos respeitado. O planeta está operando no déficit”, alertou.

De acordo com o palestrante, com o planeta operando no vermelho uma outra ameaça se constitui. “As reações diante da ameaça de escassez é a subversão da ordem social”, afirmou. O tema da sustentabilidade planetária será abordado durante todo o período do carnaval, no MIEP 2018.