18, ago, 2015

Grupo PAM apresenta “Maria Língua de Trapo” para alunos, funcionários e professores do Cesed

1Por Fernanda Moura

O Grupo PAM de Teatro, trupe de teatro do Cesed, mantida pela Fundação Pedro Américo, apresentou mais uma vez o aclamado espetáculo “Maria Língua de Trapo”, na noite desta terça-feira, 18, no Teatro Facisa. Dessa vez, a encenação foi promovida pela Coordenação de Eventos, especialmente para os alunos, funcionários e professores da instituição.

Para a professora Valquíria Gonçalves, coordenadora do Grupo PAM, a oportunidade de mostrar o trabalho da equipe para a comunidade acadêmica é um grande presente. “É um presente tanto para os artistas quanto para os alunos, no sentido de apreciar a arte como um todo. É interessante por exemplo pra quem faz Direito, porque vai ver impostação, presença cênica, é interessante pra quem faz Arquitetura porque vai ver tons de iluminação, ou seja, a arte pode ser analisada sob vários aspectos e tenho certeza que agrega valores fundamentais para todos os estudantes e profissionais, não importa qual a área”, comentou.

Foi o poder de transformação do teatro que levou a fisioterapeuta, egressa da FCM, Poliana Silva Andrade Sobrinho, 32 anos, a procurar as aulas do curso de teatro da Facisa e posteriormente, fazer parte do Grupo PAM. “O teatro me ajudou inclusive no relacionamento com os meus pacientes, melhorou minha dicção, minha impostação vocal, minha expressão corporal, além disso, tornou-se uma grande paixão que não pretendo abandonar”, reforçou a atriz, que vive a personagem Rita na peça.

2A possibilidade de trabalhar a insegurança e superar a timidez atraíram a estudante Talita Ferreira, 25, aluna do 7º período de Arquitetura, que no espetáculo vive Marcolina, a esposa do coronel. “Fiquei mais confiante, o teatro dá isso pra gente, por isso pretendo conciliar as duas profissões”, disse.

O cinegrafista da TV Itararé e Fundação Pedro Américo, Marcel Henriques, é o mais novo integrante do grupo e já tem formação de ator para vídeo e cinema. Foi sua estreia em um grande palco  e ele não escondeu a satisfação, apesar do nervosismo. “Meu coração hoje está a mil, só tenho que parabenizar o Cesed por nos dar esta oportunidade de colocar em prática nossos conhecimentos técnicos, de estarmos sempre crescendo”, declarou.

Quem também agrega valor ao Grupo PAM é o ator Leonardo Fernandes, formado em Educação Artística com ênfase em Artes Cênicas, pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). “Atuo há cinco anos e me mantenho com o teatro. Esta é a minha vida. Quando recebi o convite de Valquíria para integrar o grupo fiquei muito feliz, não hesitei”, contou.

Os alunos aprovaram a iniciativa, caso de Márcio Ferreira Pereira, 22, do 7º período do curso de Sistemas de Informação. “Acho uma excelente iniciativa da faculdade em promover a cultura e mostrar como o teatro é importante, como podemos absorver coisas boas e também é gratificante saber como a instituição está se preocupando com os estudantes em vários aspectos”, pontuou.

3Sobre a peça – Aproximadamente 20 atores, selecionados durante o Curso de Teatro da Facisa, incluindo estudantes e colaboradores da instituição, além de moradores da comunidade do Itararé e atores com formação em outras instituições, fazem parte do Grupo PAM e 13 deles integram o elenco de “Maria Língua de Trapo”, que tem texto da premiada teatróloga sergipana Aglaé D’Ávila Fontes.

A peça conta a história de Maria, uma menina alegre e carismática que sabe de tudo sobre todos e acaba ajudando um casal a ficar junto graças às suas peripécias. A comédia foi concebida para o teatro de bonecos. Na adaptação de Valquíria, os atores representam os fantoches, tal como na obra original e o enredo ganha muitas referências paraibanas, com uma trilha sonora especial.

 

Mais informações sobre o Grupo PAM e sobre o Teatro Facisa: 2101.8832/98105.8669

4     5

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *