29, out, 2015

Aula de Arquitetura leva música erudita e lirismo ao Teatro Facisa

1Por Fernanda Moura

O lírico e o erudito deram o tom da noite desta quarta-feira, 28, no Teatro Facisa. Através do projeto Capítulos de História da Música, a casa reviveu os períodos Neoclássico e Romântico, com um recital de músicas de autores clássicos de cada época, como Beethoven, Schumann, Mozart, Chopin, Bizet e Verdi.

A ação foi idealizada pela aluna do curso de Arquitetura e Urbanismo da Facisa, Germana Leal Brasileiro, sob orientação do professor e coordenador da graduação, Daniel Celegatti.

O espetáculo foi comandado pelo Coro de Câmara de Campina Grande, com o Maestro Vladimir Silva, a cantora lírica Malu Mestrinho, o pianista Paulo César Vítor e o Sexteto de Vozes. Os artistas se apresentaram por cerca de uma hora, amparados pela luz cênica e exibição de um vídeo que resumiu os períodos e mostrou a relação das músicas encenadas com cada um, num show que arrebatou a plateia presente no Teatro. Destaque para Habanera, ária da ópera Carmen, de Bizet, brilhantemente executada por Malu Mestrinho e o Coro de Câmara de Campina Grande, com Paulo César no piano.

A ideia do recital surgiu no semestre passado como parte da disciplina Estética e História da Arte, quando Germana propôs contar a história da arte e do homem através da música, contextualizando com a pintura, arquitetura, escultura e cenários da época. Conforme a idealizadora, “além do objetivo de aumentar o repertório cultural de quem assiste, a intenção é despertar a sensibilidade e fomentar a criatividade dos futuros arquitetos”.

O primeiro show, intitulado “I Capítulo de História da Música”, aconteceu no dia 28 de maio, também no Teatro Facisa e foi comandado pelo Coral Facisa, regido pelo maestro Alexandre Silva. O concerto abordou os períodos Medieval, Barroco e Renascentista.

Antes das apresentações desta quarta, o professor Daniel Celegatti deu as boas-vindas ao público e falou sobre a mostra. “Música é mais do que arte, é vida. O objetivo dessa atividade é justamente chamar atenção para a importância da música na arte, na cultura, e na arquitetura, que também é arte, seja para reforçar o aprendizado, no caso dos alunos que estão estudando estes períodos arquitetônicos, seja para valorizar sua relevância na história dos povos”, afirmou.

Germana também agradeceu aos espectadores, como também aos artistas e demais colaboradores do projeto. “Gostaria de agradecer imensamente aos queridos artistas tão talentosos que hoje aqui estiveram, assim como a todos que colaboraram com esta ideia e aqueles que estão aqui prestigiando”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *